quinta-feira, 22 de setembro de 2011

CRÂNIO - OSSOS DO CRÂNIO


O crânio é uma estrutura óssea que protege o cérebro e forma a face. Ele é formado por 22 ossos separados, o que permite seu crescimento e a manutenção da sua forma. Esses ossos se encontram ao longo de linhas chamadas suturas, que podem ser vistas no crânio de um bebê ou de uma pessoa jovem, mas que desaparecem gradualmente por volta dos 30 anos.
A maioria dos ossos cranianos formam pares, um do lado direito e o outro do lado esquerdo. Para tornar o crânio mais forte, alguns desses pares, como os dos ossos frontais, occipitais e esfenóides, fundem-se num osso único. Os pares de ossos cranianos mais importantes são os parietais, temporais, maxilares, zigomáticos, nasais e palatinos. Os ossos cranianos são finos mas, devido a seu formato curvo, são muito fortes em relação a seu peso - como ocorre com a casca de um ovo ou o capacete de um motociclista.

OSSOS DO CRÂNIO
Os ossos da cabeça são vinte e dois, dos quais oito estreitamente ligados entre si, encaixados uns com outros (fixos) formam o crânio ou calota cranial que protege o cérebro. Estes são: um frontal, dois parietais (na parte superior-lateral), dois temporais, e o occipital (nuca); o esfenóide (a base do crânio), e o etmóide (entre este último e o frontal). Na face os ossos são: maxilares, zigomáticos, nasal, lacrimal, vômer, conchas nasais, e a mandíbula, que serve para a mastigação, e é o único osso móvel da cabeça; e na parte interna da boca o palatino.

Frontal – Osso da testa, com função de proteção do cérebro;
Parietal – Par de ossos que formam os lados e a abóbada do crânio;
Occipital – A parte ínfero-posterior da cabeça; occipúcio;
Temporal – Relativo às fontes da cabeça, ou têmporas. Cada um de dois ossos da cabeça, de forma irregular e situação ínfero-lateral, que contém os órgãos da audição;
Esfenoide – Osso ímpar encravado no meio dos ossos da base do crânio;
Zigomático ou Malar – Par de Proeminências das maçãs do rosto e parte da parede lateral do assoalho das órbitas;
Maxila – Cada um dos ossos em que se implantam os dentes.Osso que se articula com o maxilar inferior;
Mandíbula – Osso único, em forma de ferradura, que constitui a queixada inferior do homem e onde se implantam os dentes inferiores;
Vômer – Osso chato e ímpar que constitui a parte posterior e inferior da parede divisória das fossas nasais;
Etmoide – Osso craniano situado entre o frontal e o esfenóide, e que concorre para a formação da base do crânio, das órbitas e das fossas nasais. Através de uma de suas lâminas passam os filetes terminais do nervo olfativo;
Palatino – Porção óssea que forma, superiormente, os dois terços anteriores do palato;
Nasal – Osso que forma a ponte do nariz;
Lacrimal – Pequeno osso, em número de dois, cada um deles situado dentro de cada cavidade orbitária na parede medial anterior;
Ouvido: (ossos em nº par):
Calota craniana
Martelo – Ossículo lateral do ouvido médio em forma de martelo;
Bigorna – Ossículo médio dos ossículos do ouvido médio, entre o Martelo e o Estribo;
Estribo – Ossículo do ouvido proximal ao plano sagital;
Conchas Nasais Inferiores – Par de ossos que formam a cavidade nasal posterior entre as maxilas e os processos pterigóideos do esfenóide;
Conchas Nasais Superiores – Par de ossos que formam a cavidade nasal anterior.

OSSOS ANEXOS DA CALOTA CRANIANA:
Interparietal – Par de ossos localizados entre os ossos parietais;
Suturais – Ligados entre os parietais e o occipital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário